UMA PARCERIA DE TELEMEDICINA MÉDICA PROPORCIONA MELHORES RESULTADOS AOS PACIENTES NA AMÉRICA LATINA

 

LATIN: LATIN AMERICA TELEMEDICINE INFARCT NETWORK

 

Estudo de Caso sobre Alinhamento de Valores: Tempo é músculo – como a parceria de telemedicina da Medtronic está economizando tempo e salvando vidas na América Latina

 

Estudo de Caso LATIN

Na periferia de São Paulo, Brasil, em uma das áreas mais empobrecidas da região, um homem está apressado para chegar ao centro de cuidados básicos mais próximo, devido a uma dor no peito. Os médicos rapidamente o conectam a um aparelho de eletrocardiograma e um especialista, a centenas de quilômetros de distância, analisa as leituras eletronicamente. Através de uma plataforma de telemedicina, um especialista diagnostica e confirma aos profissionais da emergência que o paciente está tendo um grave ataque cardíaco. Passando rapidamente pelo pronto-socorro local, o paciente é internado diretamente em um laboratório de cateterização cardíaca especializado para receber tratamento correspondente.


O processo, possibilitado por um programa de telemedicina denominado Latin America Telemedicine Infarct Network (LATIN) – é o resultado de uma parceria entre a Fundação LUMEN (programa de treinamento), a ITMS (provedor de telemedicina) e a Medtronic. “Temos um ditado: tempo é músculo”, disse Cristian Marcos Gonçalves, administrador da AMA Itaquera 24 horas, um centro de cuidados básicos e parte da rede de hospitais Santa Marcelina, em São Paulo, Brasil. “Antes do LATIN, era assim: O paciente entraria, preencheria um registro, uma enfermeira o verificaria e então a espera poderia ser de duas a quatro horas até ver um médico. Após esse intervalo de duas a quatro horas, o médico solicitaria um ECG. Ou seja – quatro horas de músculo cardíaco que seria perdido. Era assim antes do LATIN, nos velhos tempos.”

ANÁLISE SITUACIONAL

Enquanto os padrões de cuidados de saúde em todo o mundo estão melhorando, de modo geral graças a descobertas científicas e novas revoluções, milhões de pessoas não podem se beneficiar desses avanços. Existem barreiras como falta de especialistas na área da saúde altamente treinados, poucas unidades de ponta e recursos limitados para atualizar os sistemas de modo que sejam eficientes e sustentáveis. Como resultado, muitos tratamentos e serviços que se tornaram padrão nos EUA e na Europa ainda precisam ser implementados em outros mercados.

Doenças cardiovasculares, que incluem insuficiência cardíaca, arritmia e problemas nas válvulas cardíacas, são condições particularmente complexas que demandam maior atenção. Estima-se que 17,3 milhões de pessoas em todo o mundo morreram de doenças cardiovasculares no ano passado, de acordo com os dados mais recentes da American Heart Association, tornando essa condição a principal causa de morte.1

Somente no Brasil, as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte, e ainda assim apenas 8 por cento da população possui acesso aos cuidados médicos mais recomendados, conforme sugerido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia. Estimativas sugerem que o país perdeu US$ 49 bilhões devido a mortes prematuras associadas a doenças cardíacas, infarto e diabetes nos últimos 10 anos.2

Nas áreas remotas do Brasil, o tratamento dessa doença provou-se ser especialmente difícil. Comunidades rurais e carentes normalmente não possuem serviços, equipamentos médicos e profissionais treinados, que são importantes para melhorar os resultados dos pacientes. Isso causa um impacto na capacidade dos médicos de diagnosticar e tratar adequadamente as condições que são facilmente tratadas em áreas mais desenvolvidas do mundo.

Para aliviar algumas dessas questões no Brasil e em outros mercados, a Medtronic está investindo na formação de parcerias locais que criem infraestruturas de tratamento centradas no paciente para sistemas de saúde. As soluções contemplam cada região com base em suas necessidades, mas todas têm como objetivo melhorar a qualidade do tratamento e seus resultados, ao mesmo tempo em que reduzem os custos gerais. O objetivo é desenvolver soluções que não tratem apenas de necessidades imediatas e locais, mas que sejam escaláveis e aplicáveis em outras regiões.


US$ 49 bilhões perdidos devido a doenças do coração, infarto e diabetes

 

Estimativas sugerem que o Brasil perdeu US$ 49 bilhões nos últimos dez anos devido a mortes prematuras associadas a doenças do coração, infarto e diabetes.2


SOLUÇÃO COLABORATIVA

A Medtronic começou a trabalhar com membros do governo local, médicos de destaque, pessoal de tratamento emergencial e sistemas hospitalares no Brasil e na Colômbia para implementar a infraestrutura correta, de modo que os sistemas de saúde pudessem fornecer tratamento ideal para pacientes que tivessem ataques cardíacos potencialmente fatais. A solução fornece aos pacientes com doenças cardiovasculares da região tratamentos e serviços de emergência comparáveis aos dos EUA e da Europa.

O programa chama-se Latin America Telemedicine Infarct Network, ou LATIN, e é uma parceria pioneira entre Fundação Lumen, International Telemedicine Systems (ITMS) e Medtronic. A parceria foi desenvolvida para otimizar a integração do tratamento para pacientes afetados por doenças cardiovasculares através de iniciativas baseadas na educação para cardiologistas, profissionais de cuidados emergenciais e a mais ampla população de pacientes sobre como reconhecer e reagir ao tipo mais perigoso de ataques cardíacos, em que a rapidez do tratamento pode salvar vidas.

O LATIN foi criado especificamente para melhorar os resultados para pacientes com infarto do miocárdio com elevação do segmento ST (IMEST). Nesses casos, um coágulo sanguíneo bloqueia uma artéria coronária do paciente, causando infarto do músculo cardíaco alimentado pelo sangue proveniente dessa artéria. O tempo é essencial nesses casos, pois quanto mais a situação demora a ser diagnosticada e tratada, mais o músculo será permanentemente danificado e poderá causar morte.

O programa utiliza um modelo radial, dependendo da telemedicina para expandir o alcance de médicos de tratamento básico a áreas remotas que carecem de acesso e recursos para diagnóstico e tratamento de IMEST. Isso permite que cardiologistas experientes baseados em grandes centros médicos ofereçam orientação sobre diagnósticos e administração de pacientes a partir dos seus “raios” para “centrais” distantes até 400 km. Os raios incluem pequenas clínicas, centros de saúde básica e pequenos hospitais comunitários que normalmente carecem de cardiologistas e tratamento cardiológico especializado. As centrais de tratamento são capazes de realizar uma intervenção coronária percutânea (ICP) – com laboratórios e especialistas em cateterização – o dia todo, todos os dias.


Até 400 km distantes

 

Os centros médicos oferecem orientação sobre diagnósticos e administração de pacientes distantes até 400 km.


Modelo do programa LATIN

Modelo do programa Latin


O protocolo do programa LATIN compreende quatro etapas:

  1. Pacientes que chegam a locais remotos com dor no peito realizam um ECG.
  2. Esse ECG é enviado via tecnologia sem fio a um especialista em um centro médico remoto que diagnostica e recomenda o tratamento do paciente em tempo real.
  3. Os médicos decidem, com base na duração da dor no peito, no diagnóstico do ECG e em outros fatores clínicos, qual tratamento o paciente deve receber, como trombólise, estratégias fármaco-invasivas ou angioplastia com balão (com ou sem colocação de stent).
  4. É realizada uma análise para garantir que o diagnóstico e a teleconsulta foram precisos durante todo o tratamento.

IMPACTO E EXPANSÃO

Durante o programa piloto de dois anos do LATIN no Santa Marcelina, o hospital testemunhou um aumento de 30 por cento no volume de casos de IMEST e uma redução de 50 por cento na mortalidade por IMEST. A Medtronic expandiu-se para outras áreas da América Latina. Em Barranquilla, Colômbia, um programa de IMEST realizado em toda a cidade foi colocado em prática utilizando a teleassistência médica como pilar fundamental para oferecer ICP primária para seus 2,4 milhões de habitantes. A região foi conectada a um cardiologista especialista, localizado a 690 km de distância, em Bogotá, para oferecer orientação remota.

Como resultado desse programa, que foi chamado de Barranquilla Operational Telemedicine Enterprise for Revascularization of Occluded Arteries (BOTERO), um total de 100 pacientes foram diagnosticados e tratados. O tempo para o primeiro contato médico foi reduzido de 247 minutos para 207 minutos; tempos sintoma-balão reduzidos de 384 minutos para 167 minutos; e o tempo para Diagnóstico de telemedicina foi de 5,8 minutos para todo o grupo, com 98 por cento de precisão.


O Santa Marcelina testemunhou um aumento de 30 por cento nos casos de IMEST e reduziu a taxa de mortalidade por IMEST para 50 por cento.

 

O Santa Marcelina testemunhou um aumento de 30 por cento nos casos de IMEST e reduziu a taxa de mortalidade por IMEST para 50 por cento.


Mais importante, a taxa de mortalidade em 30 dias foi reduzida de 11,1 por cento para 3,2 por cento.

Até o momento, a Medtronic e suas parcerias estabeleceram 18 hubs e 90 spokes na América Latina.

De modo geral, o novo modelo de tratamento possibilitou uma administração abrangente e com uma boa relação custo-benefício para pacientes com IMEST na América Latina. Durante os 20 meses de teste, 100 centros operacionais foram abertos no Brasil e na Colômbia, e 124.000 ECGs foram transmitidos utilizando o sistema de telemedicina. Cerca de 1 por cento do total de ECGs realizados diagnosticaram IMEST, e 47 por cento dos diagnósticos de IMEST foram casos tratados nessas regiões.

Com mais de 3 milhões de casos de IMEST em todo o mundo anualmente, a aplicação de programas como o LATIN em outros mercados poderia aprimorar os padrões de tratamento vistos nesses estudos de caso relativamente pequenos e ser ampliada para salvar milhares de pacientes todos os anos, melhorando, simultaneamente, os resultados para muitos outros.


Redução de 40 minutos no tempo para o primeiro contato com o médico

Duração e precisão do diagnóstico de teleassistência médica

Redução de 217 minutos no tempo desde o início ao sintoma-balão

Redução de 71% na taxa de mortalidade em 30 dias

Os resultados do programa de IMEST na cidade de Barranquilla, Colômbia

Referências

2

World Health Organization. The Impact of Chronic Disease in Brazil. http://www.who.int/chp/chronic_disease_report/media/brazil.pdf?ua=1. Acessado em 31 de agosto de 2015.