MELHORANDO OS RESULTADOS CARDÍACOS E REDUZINDO CUSTOS

Estudo de Caso sobre Inovação Significativa: Care Management Services da Medtronic

Care Management da Medtronic

Doenças cardiovasculares (DCVs) – que incluem insuficiência cardíaca, arritmia e problemas das válvulas cardíacas – estão cobrando um alto preço das pessoas em todo o mundo. Estatísticas da Organização Mundial de Saúde as consideram a causa número um de morte em todo o mundo. Estima-se que 17,5 milhões de pessoas morreram de DCVs em 2012, representando 31 por cento de todas as mortes ocorridas no mundo inteiro. Mais de três quartos das mortes por DCV ocorrem em países de baixa e média renda.1

Nos Estados Unidos, especificamente, doenças cardíacas são a principal causa de morte tanto em homens quanto em mulheres1, e seu impacto no sistema de saúde estadunidense é enorme. De acordo com informações dos Centros para controle e prevenção de doenças.

  • Cerca de 610.000 estadunidenses morrem em decorrência de doenças cardíacas todos os anos. Isso representa uma em cada quatro mortes.2
  • Nos Estados Unidos, a cada 43 segundos, uma pessoa sofre um ataque cardíaco; e alguém morre devido a um evento relacionado a doenças cardíacas a cada minuto.2
  • Apenas as doenças coronárias custam, anualmente, cerca de US$ 109 bilhões2. Isso inclui o custo dos serviços de saúde, medicações e perda de produtividade.

Cerca de 610.000 estadunidenses morrem em decorrência de doenças cardíacas todos os anos

 

Cerca de 610.000 estadunidenses morrem em decorrência de doenças cardíacas todos os anos. Isso representa 1 em cada 4 mortes.2


A insuficiência cardíaca, particularmente, envia muitos idosos para o pronto-socorro e normalmente provoca internação. Uma população envelhecida torna o problema ainda mais generalizado – e caro. De acordo com a Associação Americana do Coração, o número de pessoas nos EUA com insuficiência cardíaca poderá subir 46 por cento – de 5 milhões em 2012 para 8 milhões em 2030. É possível que os custos diretos e indiretos para tratar a insuficiência cardíaca aumentem mais que o dobro – de US$ 31 bilhões em 2012 para US$ 70 bilhões em 2030.3

E se os pacientes com insuficiência cardíaca pudessem ficar mais saudáveis e permanecer fora do hospital através do uso de tecnologia, engajamento do paciente, dados conectados e coordenadores pessoais de saúde para analisar a avaliação de risco precoce? E se isso fosse implementado para aumentar e melhorar o padrão dos percursos clínicos de tratamento? O Care Management Services da Medtronic preenche todos esses requisitos atualmente.


gráfico dos custos com insuficiência cardíaca

 

É possível que os custos diretos e indiretos para tratar a insuficiência cardíaca aumentem mais que o dobro – de US$ 31 bilhões em 2012 para US$ 70 bilhões em 2030.3


TRATAMENTO CENTRADO NO PACIENTE EM CASA

O Care Management Service da Medtronic foi criado para dar suporte e melhorar hospitais e prestadores ao aprimorar o gerenciamento do tratamento de pessoas com doenças cardíacas e outros problemas cardíacos crônicos. Muitas voltaram para casa após receberem alta de um hospital devido a um episódio cardíaco. A Medtronic mune essas pessoas com uma coleção de dados e um sistema de engajamento do paciente especialmente criados para possibilitar um suporte ideal ao gerenciamento de doenças.

Todas as manhãs, a pessoa com insuficiência cardíaca participa de uma experiência de monitoramento remoto adequado ao seu estado médico específico. Biometria, sintomas e outros dados são recolhidos consistentemente e examinados utilizando-se análises preditivas. Mudanças notáveis no estado de saúde são comunicadas a um profissional da saúde e é iniciado um processo de circuito fechado.

Uma dessas profissionais é Helen Deloney, RN Sênior da Medtronic, que utiliza essas informações para identificar problemas e entrar em contato com os pacientes sobre seus prestadores de saúde para evitar problemas antes que eles se agravem. Esses dados valiosos ajudam enfermeiras como Deloney a servirem como conexões essenciais entre pacientes e seus prestadores de saúde.

“Na nossa maneira de ver, isso é a continuação da internação em um hospital, em que os pacientes são antes diagnosticados com uma insuficiência cardíaca ou outra doença crônica”, comenta Deloney. “Após voltarem para casa, podemos monitorar suas condições de saúde e educar essas pessoas, reforçando o que aprenderam no ambiente do hospital. Quanto mais os pacientes aprendem, mais eles são capazes de lidar com suas doenças.”


Número de pessoas nos EUA com insuficiência cardíaca

 

O número de pessoas nos EUA com insuficiência cardíaca poderá subir 46 por cento – de 5 milhões em 2012 para 8 milhões em 2030.3


VALOR DA SAÚDE APRIMORADO

Soluções de monitoramento remoto como o Care Management Services da Medtronic podem ajudar as pessoas com insuficiência cardíaca a reduzirem visitas de retorno ao hospital e ajudam a diminuir os custos do sistema.

“O Care Management Services da Medtronic destina-se a melhorar a qualidade de vida de um paciente e os resultados da sua saúde”, diz Sheri Dodd, VP e Administradora Geral do Care Management Services da Medtronic. “Estamos fazendo isso ao diminuir a utilização desnecessária de cuidados de saúde, o que beneficia os pacientes. Isso também beneficia hospitais, contribuintes e médicos.”

Estamos comprometidos em firmar parcerias com prestadores de saúde e contribuintes para expandir o acesso ao nosso Care Management Service, que oferece vantagens econômicas tangíveis ao sistema de saúde.

“Acredito desde sempre que isso é uma parceria”, disse Mark Stampehl, M.D., Diretor Médico de Insuficiência Cardíaca do Prairie Heart Institute, HSHS St. John’s Hospital em Springfield, Ill., que utiliza o Care Management Service da Medtronic. “Não é como se estivéssemos apenas adquirindo um serviço ou contratando uma ferramenta. Nós realmente trabalhamos com a Medtronic desde que começou a desenvolver a ferramenta e a refinar sua utilização.”

No St. John’s, onde quase 850 pacientes foram cadastrados no Care Management Services da Medtronic, o hospital testemunhou uma taxa de 12,9 por cento de novas internações nos 30 dias após a saída do hospital durante 36 meses – 48 por cento a menos que a média nacional.4

“O que podemos dizer é que todos – quase universalmente – registraram uma maior qualidade de vida como resultado do tratamento recebido através do programa”, afirma o Dr. Stampehl. O serviço funcionou tão bem que o St. John’s está ampliando-o para pacientes ambulatoriais de alto risco, esperando ajudar a mantê-los fora do pronto-socorro ou do hospital como um todo.


Novas internações no HSHS St. John’s

 

O índice de novas internações nos 30 após a saída do hospital no HSHS St. John’s é 48% mais baixo que a média nacional.4


EFICIÊNCIAS EMPRESARIAIS APRIMORADAS

O Care Management Service da Medtronic é utilizado por 85.000 pacientes em todos os 50 estados dos EUA e possui mais de 3 milhões de pacientes de teleassistência sanitária nos meses posteriores ao início do serviço.

Nosso Care Management Service demonstra o nosso comprometimento em fornecer cuidados com a saúde baseados em valor: cuidados com o paciente de alta qualidade, integrado e colaborativo a um custo total reduzido para o sistema de saúde.


85.000 pacientes

 

85.000 pacientes nos 50 estados dos EUA utilizam o Care Management Service da Medtronic.


ALINHAMENTO DO VALOR SOBRE OS CUIDADOS COM A SAÚDE

Parcerias como essa entre o HSHS St. John’s e o Care Management Services da Medtronic ajudam a deixar os custos fora do sistema de saúde, ao manter o paciente em casa.

Alinhar valor na área da saúde é uma maneira sensata de alcançar melhores resultados para o paciente ao mesmo tempo em que administra os custos. É um passo positivo rumo ao futuro da área da saúde que podemos levar Juntos, Além.


REFERÊNCIAS

1

World Health Organization Fact Sheet: Cardiovascular diseases (CVDs). Atualizado em janeiro de 2015.http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs317/en/. Acessado em 10 de setembro de 2015.

2

Heart Disease Fact Sheet, Centers for Disease Control and Prevention, (CDC). http://www.cdc.gov/dhdsp/data_statistics/fact_sheets/docs/fs_heart_disease.pdf. Acessado em 10 de setembro de 2015.

3

Forecasting the Impact of Heart Failure in the United States: A Policy Statement From the American Heart Association. Circulation: Heart Failure. 2013; 6: 606-619.http://circheartfailure.ahajournals.org/content/6/3/606.full.pdf+html. Acessado em 10 de setembro de 2015.

4

Hospital Sisters Health System, Case Study: Transforming Health Care Delivery Through Care Integration, October 2013.