lean_healthcare

LEAN HEALTHCARE: FAZER MAIS COM MENOS

Por Angélica Beltrán, Gerente de Processos de Negócios da IHS, Região Andina

Cada minuto de cirurgia básica em uma sala de cirurgia custa entre US $ 15 e US $ 20, sem contar as despesas médicas. Quando a ocupação de uma sala de cirurgia ou cateterismo é menor que a esperada, não se perde apenas a possibilidade de atendimento aos pacientes que dela necessitam, mas também o dinheiro das instituições e o tempo valioso dos profissionais são desperdiçados. Na América Latina, onde os corredores têm uma ocupação média de 64%, perdem-se pelo menos 320 dólares por hora. Para aumentar a eficiência, na Medtronic IHS (Integrated Health Solutions), desenvolvemos ferramentas para o gerenciamento de salas de cirurgia e hemodinâmica que nos permitem fazer muito mais, com menos recursos.

Na América Latina, onde as salas têm uma ocupação média de 64%, perdem-se pelo menos 320 dólares por hora.

Angélica Beltrán

Por exemplo, o gerenciamento integrado das salas de cirurgia e hemodinâmica usando a metodologia Lean Six Sigma da Medtronic permitiu que a Fundação Cardioinfantil de Bogotá, Colômbia, aumentasse em mais de 15% o número de pacientes tratados nos últimos seis meses.

Após dois anos de consultoria, em que foram identificadas as causas dos problemas no ciclo de atenção dos pacientes que chegaram aos seus quartos, a clínica colombiana iniciou 19 planos de ação em nível administrativo e clínico. Assim, nos últimos seis meses, o tempo de espera de um procedimento hemodinâmico de 12 dias para apenas 6 dias diminuiu. Além da redução em metade do tempo de espera, os quartos passaram de 65% para 75% e os cancelamentos nas salas de intervenção diminuíram de 6 para 3%. Tudo isso resultou em custos mais baixos para a instituição colombiana e maiores taxas de satisfação do paciente.

Metodología Lean

Como podemos melhorar a eficiência com custos iguais ou menores? Em primeiro lugar, é importante estabelecer um diagnóstico dos problemas e dos gargalos existentes no atendimento. Então devemos concordar com um plano para mudar a cultura institucional, que pode exigir de 6 meses a dois anos, dependendo do grau de maturidade. É essencial ter ferramentas de análise para consolidar os dados de cada paciente e estabelecer práticas padronizadas o mais rápido possível. Feito isso, o gerenciamento adequado das salas e materiais permite otimizar o uso dos recursos.

No futuro, o desafio na América Latina é integrar a gestão integral que oferecemos em IHS com o modelo de valor em saúde. O objetivo final é parar de se concentrar em cada procedimento para se concentrar nos resultados que o paciente recebe durante todo o ciclo de seus cuidados em um hospital, desde o momento em que eles entram com um problema até chegarem a uma solução. Somente quando conseguirmos integrar os serviços de saúde com qualidade e eficiência, os pacientes, as instituições médicas e as seguradoras obterão o valor a que aspiram e que o sistema de saúde precisa para sobreviver.


1

Alex Macario. What does one minute of operating room time cost? Journal of Clinical Anesthesia. 2010. http://ether.stanford.edu/asc/documents/management2.pdf

2

https://www.medtronic.com/us-en/patients/treatments-therapies/transcatheter-aortic-valve-replacement/about/tavr-procedure.html