Pessoas pescando

Sobre a doença vascular periférica

Doença Vascular Periférica (DVP)

A doença vascular periférica (DVP) é uma doença comum que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Estima-se que atualmente há mais de 8 milhões de pessoas com DVP nos Estados Unidos, mas de uma forma geral quase não há conscientização sobre a doença. Com essa falta de conscientização, muita gente que sofre de DVP acaba sem diagnóstico e sem tratamento.

Definição

DVP, também conhecida como doença arterial obstrutiva periférica, é o estreitamento ou bloqueio das artérias em várias regiões importantes do corpo.

Causa

A DVP acontece quando existe um acúmulo de material gorduroso, chamado placa, dentro das artérias. Essa doença também é chamada de arterosclerose ou endurecimento das artérias.

Os acúmulos de gordura (também chamados de calcificações) podem fazer com que as artérias endureçam (calcifiquem-se) e tornem-se mais estreitas ou bloqueadas, limitando o fornecimento do sangue rico em oxigênio pelo corpo. Isso pode causar diferentes problemas de saúde, dependendo de quais artérias são bloqueadas.

DVP - Comparação de artérias


Comparação de uma artéria saudável (acima)
com uma artéria com acúmulo de gordura (abaixo)

Sintomas

DVP dos membros inferiores

A doença vascular periférica dos membros inferiores afeta as artérias que fornecem sangue aos músculos das pernas. As três artérias bloqueadas com mais frequência são a artéria ilíaca, a femoral superficial (conhecida como AFS) e as artérias infrapoplíteas, que ficam abaixo do joelho.

Quando as principais artérias das pernas ficam bloqueadas pela placa, artérias menores, chamadas de caminho alternativo, assumem o comando como rota principal para fornecer sangue aos músculos da perna. Essas artérias menores podem fornecer sangue suficiente aos músculos quando a pessoa se encontra em repouso, mas não fazem um bom trabalho quando o indivíduo está fisicamente ativo e os músculos da perna precisam de mais sangue e oxigênio.

Pessoas com DVP dos membros inferiores sentem dores ou desconforto frequente ao andar, ou ao desempenhar tarefas cotidianas. Atividades físicas são frequentemente difíceis de fazer por causa do menor fornecimento de sangue para as pernas, o que normalmente causa sintomas que pioram com o tempo, a não ser que se faça um tratamento.

DVP - Anatomia dos membros inferiores com DVP


Anatomia dos membros inferiores com DVP

Esses sintomas podem incluir:

  • Dor ou cansaço nos membros inferiores
  • Dor no glúteo
  • Sensação de queimação ou dormência nos pés
  • Feridas ou rachaduras na pele das pernas e pés
  • Perda de pelos nos pés ou dedos dos pés
  • Dor nos pés ou dedos dos pés em repouso
  • Mudanças na cor da pele (avermelhada, azulada ou uma coloração esbranquiçada)
  • Diminuição da temperatura da pele
  • Impotência (incapacidade de obter ou manter uma ereção)

Fatores de risco

Milhões de pessoas em todo o mundo possuem DVP ou correm o risco de desenvolver a doença. Muitas pessoas que sofrem da doença nunca são diagnosticadas ou tratadas.

É normal que haja um endurecimento das artérias conforme você envelhece, além do acúmulo de gordura, mas certos fatores de risco, como determinados comportamentos, doenças ou hábitos, podem levar ao desenvolvimento precoce da DVP. Quanto mais você se expor aos fatores de risco, maiores serão as suas chances de desenvolver DVP.

Alguns fatores de riscos da DVP são:

  • Mais de 50 anos
  • Fumo
  • Diabetes
  • Histórico familiar de doença vascular ou cardíaca
  • Pressão alta (também chamada de hipertensão)
  • Altos níveis de colesterol ou triglicerídeos no sangue
  • Falta de exercício ou atividade física
  • Obesidade (sobrepeso)
  • Stress

Apesar de fatores de risco como idade e histórico familiar não poderem ser controlados, alguns fatores podem ser controlados ou geridos de forma a diminuir o risco. Eles incluem tabagismo, diabetes, hipertensão, colesterol alto, obesidade e um estilo de vida sedentário. Seu médico pode orientá-lo sobre escolhas mais saudáveis para a sua dieta, consumo do tabaco, nível de atividade física e gerenciamento de stress.

Se você estiver no grupo de risco da DVP é importante falar com seu médico sobre formas de diminuir suas chances de desenvolver a doença. Além de ter aterosclerose (endurecimento das artérias), pessoas com DVP também correm um risco alto de sofrer um ataque cardíaco ou ter um acidente vascular cerebral (AVC).

Diagnóstico

Ao fazer um diagnóstico, seu médico irá avaliar seu histórico médico e familiar, fatores de risco e sintomas. Caso esteja sob suspeita de haver desenvolvido DVP, seu médico irá pedir-lhe uma série de exames antes de decidir o melhor tratamento. Esses exames foram desenvolvidos para saber como está o fluxo de sangue em suas artérias e identificar áreas que precisam de atenção.

Os exames e testes que podem ser solicitados incluem:

  • Índice Tornozelo-Braquial (ITB): Usado para diagnosticar a DVP nos membros inferiores (pernas). O ITB compara a pressão arterial medida no tornozelo com a pressão arterial medida no braço. Um aparelho medidor de pressão normal e um aparelho de ultrassom especial são usados para esse exame.
  • Teste ergométrico:Inclui andar numa esteira por um determinado tempo, normalmente 5 minutos, ou até que precise parar porque sente-se cansado ou com incômodo nas pernas.
  • Ultrassom:Utiliza ondas sonoras de alta-frequência para gerar uma imagem que pode ajudar o médico a avaliar o fluxo sanguíneo e estreitamento ou bloqueios em seus vasos sanguíneos.
  • Ressonância magnética (IRM):Faz uso de campos magnéticos e ondas de rádio para gerar uma imagem que mostra bloqueios em suas artérias.
  • Angiografia: É uma técnica de imagem chamada fluoroscopia, que faz uso de uma tecnologia de raio-x e um fluido chamado contraste para “filmar” o fluxo de sangue nas suas artérias. Essas imagens mostram a exata localização do estreitamento no vaso sanguíneo. Esse exame é feito numa sala de cateterismo vascular ou “sala de cateterismo”.
  • Tomografia computadorizada (TC): Usa máquinas de raio-x especializadas para gerar imagens detalhadas das artérias e detectar bloqueios.

UC201503768a EN

Disclaimer

As informações contidas neste site não devem ser usadas no lugar de consultas médicas. Sempre converse com o seu médico para obter diagnósticos e informações de tratamento.